Domingo, 21 de Maio de 2006

Todos os rios correm para o mar

dizem...

 


 

 

Mas que sabemos nós de rios, afinal? Aqueles que descem de barco o rio

 

são engolidos pela Cidade

 

 

O mesmo acontece aos que o acompanham a passo, pelas margens

  Não têm como lhe fugir...e fugir porquê?!

Existem cidades que emergem das águas 

 como que adormecidas à espera de quem as descubra 

Noutras, os rios moldam-nas a seu gosto, abrindo as portas da cidade de par em par

 

Em algum ponto o viajante é convidado a percorrer as ruas,  

e como que a sossega-lo, existe sempre um arco sobre as àguas, promessa da travessia para o outro lado. Os mais ansiosos só têm olhos para o lado de lá, talvez atraídos pelos edifícios que, em tempos idos, fizeram a prosperidade da Cidade, e pelas torres sineiras, implacaveis a marcar a passagem do Tempo. 

Porém, do lado de cá existe cor, aroma e cheiros, vozes de crianças brincando 

 e janelas para o rio e para quem passa na rua, cá embaixo.

 

 

 

Pessoas circulam indecisas

 

talvez torturadas sabe-se lá de que culpa, ou desgosto, ou dalgum mal ruim. Ou nada disso, afinal: ociosas, deixando-se levar pelo correr da margem, ou agarrando o fundo das águas escuras com suas linhas e anzóis.

Porém, a Cidade atrai os incautos para becos

  donde escaparão ou não, assim como para passagens sem saída e sem retorno

Iludidos por luxuriantes fantasias

promessas de acesso aos segredos mais desejados

mas donde nunca passarão para além dos pesados portões cerrados, ainda mais perdidos e desamparados.

Todos os rios vão dar ao mar...dizem

tags: , , ,
Direitos de Autor: textos e fotos de Pedro Freire de Almeida pepe às 19:32
link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De Ariadne a 1 de Junho de 2006 às 04:38
Obrigada pela visita ao viramundo... volte sempre ! Também gostei dos seus spots. Já foram para a lista de favoritos.

Namasté
De ana a 28 de Junho de 2006 às 17:08
Não sei se é verdade, se todos os rios vão dar ao mar!
Há rios que morrem antes de chegar lá.
Mas são rios na mesma, com leito, margens, água, limos, pedras, cascatas, sons.
Não deixam de ser rio, por não cumprirem o sonho maior de um rio.
De Adelaide Pereira a 8 de Novembro de 2008 às 15:45
O rio Douro é para nós mais especial que qualquer outro, porque o conhecemos melhor. O tempo que lhe dedicamos dá-nos motivos para o amar. Este é um rio inspirador, tal como a cidade que o recebe e acolhe; que tão bem se espelha no rio. Outrora, o Rio Douro abriu o Porto ao mundo e ao futuro, através do mundialmente famoso Vinho do Porto.
Este "néctar dos deuses" é cultivado nas encostas do Douro (gostava de ver e ler coisas tuas sobre este tema); depois de colhido desce o rio até às caves que estão viradas para o Porto e ali juntinhas ao Rio que é Douro. Aqui adquire todas as caracteristicas ímpares que com toda a justiça lhe são conhecidas.
Adelaide Pereira

Comentar post

mudança de endereço

arranhando a superfície a...

Findo Setembro, o que fic...

fronteira

mistério pascal

Interior Profundo

Litoral

PortuCale

melancolia de natal

Tempus fugit

Pela noite sem lua, guiad...

Todos os rios correm para...

Nem todos os lugares asso...

Das horas tranquilas nenh...

Um barco

blogs SAPO

subscrever feeds